Copas do Mundo
Página Inicial
Notícias
Artigos
História das Copas
Copa do Mundo de 1930
Copa do Mundo de 1934
Copa do Mundo de 1938
Copa do Mundo de 1950
Copa do Mundo de 1954
Copa do Mundo de 1958
Copa do Mundo de 1962
Copa do Mundo de 1966
Copa do Mundo de 1970
Copa do Mundo de 1974
Copa do Mundo de 1978
Copa do Mundo de 1982
Copa do Mundo de 1986
Copa do Mundo de 1990
Copa do Mundo de 1994
Copa do Mundo de 1998
Copa do Mundo de 2002
Copa do Mundo de 2006
Copa do Mundo de 2010
Copa do Mundo de 2014
Copa do Mundo de 2018
Copa do Mundo de 2022
Mascotes das Copas
Copa das Confederações
Livro de Visitas
Links
E-mail

 

Uruguai e Argentina decidem a Copa de 1930

 

Estava em jogo a rivalidade sul-americana. Uruguai e Argentina, classificados em seus grupos, derrotaram, respectivamente, Iugoslávia e Estados Unidos. E mais, com goleadas traduzidas em números absolutamente iguais: 6x1. Por três dias, em Montevidéu e Buenos Ayres, não se falava em outra coisa. Uruguaios e argentinos viviam, pensavam, respiravam futebol. Milhares de torcedores, desesperados por não encontrarem lugar nas barcas superlotadas que saiam para Montevidéu, ensaiaram um quebra-quebra no centro de Buenos Ayres exigindo mais barcas. No outro lado, a confusão era ainda maior. Hotéis lotados, ingressos na mão de cambistas. Discussões e até brigas que surgiam aqui e ali.

Oitenta mil torcedores lotaram o Centenário. Os capitães dos times discutiam. O uruguaio querendo jogar com uma bola feita em seu país. O argentino, com a bola Argentina. O árbitro belga, Joliu Langenus, decidiu: um tempo para cada bola. Com a bola Argentina, os uruguaios conseguiram o primeiro gol, logo aos 12 minutos, marcado por Dorado. Oito minutos depois, Peucelle empatou. Aos 37 minutos, Stabile, o artilheiro do campeonato, marcou o segundo gol argentino. E o primeiro tempo chegou ao fim com os argentinos vencendo por 2x1. Foi espantosa a reação uruguaia no segundo tempo, jogando com a bola feita em casa. Aos 12 minutos, Cea empatou. Aos 23, num chute de fora da área, Iriarte pôs o Uruguai em vantagem. O país vivia momentos de sofrida espera quando, num contra-ataque. Dorado centrou da direita, pelo alto, e Castro com uma cabeçada fulminante mandou a bola para as redes. Era o quarto gol. Um minuto depois, o jogo acabava. E o Uruguai conquistava a taça de ouro.

 

- Próximo artigo: Uruguaios os primeiros campeões em 1930


Última atualização: 24/09/13. Política de privacidade  |  Mapa do Site