Copas do Mundo
Página Inicial
Notícias
Artigos
História das Copas
Copa do Mundo de 1930
Copa do Mundo de 1934
Copa do Mundo de 1938
Copa do Mundo de 1950
Copa do Mundo de 1954
Copa do Mundo de 1958
Copa do Mundo de 1962
Copa do Mundo de 1966
Copa do Mundo de 1970
Copa do Mundo de 1974
Copa do Mundo de 1978
Copa do Mundo de 1982
Copa do Mundo de 1986
Copa do Mundo de 1990
Copa do Mundo de 1994
Copa do Mundo de 1998
Copa do Mundo de 2002
Copa do Mundo de 2006
Copa do Mundo de 2010
Copa do Mundo de 2014
Copa do Mundo de 2018
Copa do Mundo de 2022
Mascotes das Copas
Copa das Confederações
Livro de Visitas
Links
E-mail

 

Brasil 2x1 Espanha - 1962

 

Foto de Pelé abraçando Amarildo depois da vitória contra os espanhóis.

Com Pelé fora do jogo contra a Espanha, o treinador Aymoré Moreira chegou a pensar em colocar Jair da Costa na ponta direita e deslocando Garrincha para meia. Tudo porque o temperamental Amarildo era inexperiente em jogos internacionais. Mas, mesmo assim, o técnico decidiu que Amarildo deveria ser o substituto imediato de Pelé. Paulo Amaral e Nilton Santos conversaram muito com Amarildo para que ele não revidasse as provocações dos espanhóis.

Nos primeiros minutos do jogo, Didi não conseguia comandar suas pernas. Ele queria se vingar dos maus momentos que teve no futebol espanhol. Essa preocupação não lhe fazia bem. Zózimo estava inseguro. Zito indeciso nas antecipações e Amarildo, sem tremer, sentia claramente o peso da responsabilidade. Os espanhóis souberam se aproveitar da situação e, aos 35 minutos do primeiro tempo, Adelardo fez 1x0. Logo depois Adelardo foi derrubado na área por Nilton Santos e o juiz preferiu marcar uma falta fora da área. Gilmar ainda faria uma defesa maravilhosa e, novamente o juiz chileno Sergio Bustamante, anulou um gol de Peiró aparentemente legítimo. Foi um alivio quando terminou o primeiro tempo. Todos eram unânimes em afirmam que poderia ter sido pior. Os espanhóis estavam certo que ganhariam o jogo.

No vestiário dos brasileiros, Amarildo soluçava num banco de madeira. Paulo Amaral o levou para o banheiro e quase aos gritos, não parava de sacudi-lo, dizendo a ele que os espanhóis não eram mais homens de que os brasileiros e que poderíamos vencer no segundo tempo. Paulo Amaral passou a mão nos ombros de Amarildo, deu um cálice de conhaque e o mandou para o campo. Ele voltou para o segundo tempo transformado. Os outros jogadores também. E aos 27 minutos, Zito roubou a bola de Puskas e soltou rápido para Zagalo, que foi a linha de fundo e centrou. Amarildo entrou rápido entre os zagueiros espanhóis enfiando o bico da chuteira na bola e empatando o jogo. Uma pirâmide amarela ia crescendo em cima dele. Agora Amarildo já não se importava com mais nada e Didi se esqueceu da vingança. Foi com a precisão de um mestre, que Didi lançou Garrincha num passe de trivela. Com os espanhóis a sua frente, Garrincha foi driblando um a um os zagueiros que apareciam e centro alto para a área. Amarildo subiu e jogou sua testa de encontro a bola: Brasil 2x1 aos 40 minutos do segundo tempo. Estávamos classificados. Foi uma vitória que jamais os brasileiros esquecerão.

DETALHES.

6.junho.1962 – Brasil 2 x Espanha 1
Copa do Mundo de 1962
Local: Estádio de Sausalito em Vinã Del Mar
Juiz; Sergio Bustamante do Chile
Publico: 18.715 pagantes
Gols de Adelardo. Amarildo e Amarildo
Brasil: Gilmar. Djalma Santos. Mauro. Zózimo e Nilton Santos. Zito e Didi.Garrincha. Vává. Amarildo e Zagalo.
Espanha: Araquistan. Rodri. Echeverria. Garcia e Pachim. Vergas. Cellar. Adelardo. Puskas. Peiró e Gento.

Próximo artigo: Brasil 2x4 Hungria - 1954


Última atualização: 24/09/13. Política de privacidade  |  Mapa do Site