Copas do Mundo
Página Inicial
Notícias
Artigos
História das Copas
Copa do Mundo de 1930
Copa do Mundo de 1934
Copa do Mundo de 1938
Copa do Mundo de 1950
Copa do Mundo de 1954
Copa do Mundo de 1958
Copa do Mundo de 1962
Copa do Mundo de 1966
Copa do Mundo de 1970
Copa do Mundo de 1974
Copa do Mundo de 1978
Copa do Mundo de 1982
Copa do Mundo de 1986
Copa do Mundo de 1990
Copa do Mundo de 1994
Copa do Mundo de 1998
Copa do Mundo de 2002
Copa do Mundo de 2006
Copa do Mundo de 2010
Copa do Mundo de 2014
Copa do Mundo de 2018
Copa do Mundo de 2022
Mascotes das Copas
Copa das Confederações
Livro de Visitas
Links
E-mail

 

Governo pensa usar aeroportos militares durante a Copa do Mundo de 2014

 

Um dos pontos críticos na realização da Copa do Mundo de 2014, a questão dos aeroportos, pode ter o auxílio do uso de infraestrutura militares.

O Ministro do Esporte, Aldo Rebelo, não descartou esta hipótese e disse que ela já está sendo discutida.

“Todas as possibilidades para resolver os desafios necessários para a realização da Copa serão usadas”, falou o representante governamental. O uso de aeroportos militares está sendo estudado. Mas isso só vai ser apresentado quando o Ministro da Defesa, que é o responsável pela área”, se pronunciar.

O presidente da CBF, José Maria Marin, o Ministro dos Esportes, o presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo del Nero, além dos ex-jogadores Bebeto e Ronaldo, representantes do COL (Comitê Organizador Local da Copa), se reuniram nesta terça-feira (8-05) com representantes da FIFA, o presidente Joseph Blatter e o secretário-geral, Jérôme Valcke.

A reunião de hoje marcou o reencontro entre Rebelo e Valcke, dois meses depois da crise detonada por declarações do dirigente francês. No início de março, uma fala de Valcke gerou mal-estar com o governo brasileiro e estremeceu a parceria Fifa-Brasil na condução da organização da Copa de 2014. Na oportunidade, o dirigente francês afirmou que os anfitriões do Mundial precisavam de um "chute no traseiro"para acelerar os preparativos do evento.

Já no fim do mês passado, Aldo Rebelo afirmou que o momento é de reconciliação e que a parceria entre brasileiros e a FIFA deve almejar adiante.

Mas hoje Blatter já mostrou a força do francês. "Estão aqui todos os responsáveis pela Copa, da parte do governo brasileiro, e da FIFA, inclusive o secretário-geral Jèrôme Valcke. Todos os problemas foram resolvidos. Não vamos falar sobre pequenos problemas que já acabaram", afirmou o dirigente máximo da entidade.


Última atualização: 24/09/13. Política de privacidade  |  Mapa do Site